segunda-feira, 14 de março de 2011

Dia da Poesia

Hoje é dia da poesia, e eu como uma amante confessa dessa arte não poderia deixar de comemorar!.

A primeira poesia que lembro de ter lido foi  "Amar" do Drummond, depois disso conheci tantos poemas e tantos poetas e a cada verso mais encanto.
Vi que mundo mágico se esconde por trás de cada rima, de cada estrofe, e por que não dizer de cada métrica.
A poesia é um sentimento de alma, é aquilo que o coração expressa...

E para o vosso deleite fiquem com "Amar"

Que pode uma criatura senão,senão entre criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar, desamar, amar?
sempre, e até de olhos vidrados, amar?

Que pode, pergunto, o ser amoroso
sozinho, em rotação universal, senão
rodar também, e amar?
amar o que o mar traz à praia,
o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha,
é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?

Amar solenemente as palmas do deserto,
o que é entrega ou adoração expectante,
e amar o inóspito, o áspero,
um vaso sem flor, um chão de ferro,
e o peito inerte, e a rua vista em sonho, e uma ave de rapina.

Este o nosso destino: amor sem conta,
distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor.

Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita.

Carlos Drummond de Andrade

Um comentário:

  1. Rodrigo Siqueira Coelho14 de março de 2011 13:58

    Minha linda!!
    vc e super..

    bjusss
    amo vc

    ResponderExcluir